terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Ainda sobre a questão do negro no Brasil

Olá pessoal !!!! Em continuidade ao tema relacionado à escravidão e a diáspora negra no Brasil, agora trazemos uma música do Jorge Aragão , um dos grandes compositores e intérpretes do samba , ou melhor dizendo : o "poeta do samba" , no que acertadamente a crítica o define . Nesta música , que é um verdadeiro "pedido" à reflexão sobre o que é ATUALMENTE o racismo no Brasil , e , como este racismo se mascara na nossa sociedade: Em pequenas rejeições , em comentários preconceituosos, em atitudes dissimuladas , ou, em práticas imperceptíveis , que nos remetem à Casa Grande ( as atuais dependências de empregada , em apartamentos ) . Isso sem esquecer dos famigerados "elevadores de serviço " que muito mais do que o transporte de mercadorias , transportam os herdeiros das mercadorias do passado : O negro escravo . A atual doméstica uniformizada , o serviçal maltrapilho , o motoboy ... enfim , todos esses que a pobre elite brasileira insiste em "empurrar" para debaixo do tapete ( ou para o outro elevador , como preferirem ) .... São os herdeiros da nossa história !!!!
Aí vai a música e boa reflexão ...

Identidade
Composição: Jorge Aragão


Elevador é quase um templo
Exemplo pra minar teu sono
Sai desse compromisso
Não vai no de serviço
Se o social tem dono, não vai...
Quem cede a vez não quer vitória
Somos herança da memória
Temos a cor da noite
Filhos de todo açoite
Fato real de nossa história
Se o preto de alma branca pra você
É o exemplo da dignidade
Não nos ajuda, só nos faz sofrer
Nem resgata nossa identidade
Elevador é quase um templo
Exemplo pra minar teu sono
Sai desse compromisso
Não vai no de serviço
Se o social tem dono, não vai...
Quem cede a vez não quer vitória
Somos herança da memória
Temos a cor da noite
Filhos de todo açoite
Fato real de nossa história
Se o preto de alma branca pra você
É o exemplo da dignidade
Não nos ajuda, só nos faz sofrer
Nem resgata nossa identidade
Elevador é quase um templo
Exemplo pra minar teu sono
Sai desse compromisso
Não vai no de serviço
Se o social tem dono, não vai...
Quem cede a vez não quer vitória
Somos herança da memória
Temos a cor da noite
Filhos de todo açoite
Fato real de nossa história


Saudações históricas !!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário